Sem categoria

Vá ao parque de diversões

O Dia das Crianças está chegando – é comemorado no dia 12 de outubro – e, como não dá para passar a data em branco, o Portal da Band listou alguns dos parques de diversões mais badalados do país. Escolha um e leve a criançada – nem que seja a criança que mora dentro de você!

Alpen Park
Onde fica: Canela (RS)

O que tem de bom: O parque funciona como um dos atrativos da região gaúcha e dispõe de uma área de 60 mil m². Em funcionamento desde 2003, seu foco são as atividades ao ar livre e de aventura, ou seja, quem vai para lá é para estar em contato com a natureza e para experimentar atrações como tirolesa, arvorismo, parede de escalada, quadriciclo, floresta mágica e passeio a cavalo.

Um dos atrativos é a montanha-russa chamada “Alpine Coaster”, na qual o visitante controla a velocidade do trenó que percorre o circuito por meio de um dispositivo instalado nele. Também é possível praticar rappel, fazer bungee trampolim e curtir o “Alpen Motion”, único cinema 4D da América Latina.

Informações: (54) 3282-9752

Beto Carrero World
Onde fica: Penha (SC)

O que tem de bom: É o maior parque temático da América Latina e essa qualidade, por si só, já dá algumas vantagens ao parque, que tem uma impressionante área de 14 milhões de metros. quadrados. São mais de 100 atrações que servem a idades variadas e o castelo cheio de cores e torres logo chama atenção dos visitantes que chegam por lá.

O parque funciona há 18 anos e de acordo com seu criador, Beto Carrero, a ideia era criar o “Parque da família brasileira” – guardando as devidas proporções, o mesmo que Walt Disney fez com a Disney World nos Estados Unidos.

Com várias mudas sendo plantadas por lá com frequência, o parque, além de ser temático, preza por paisagem repleta de verde e detém um dos maiores zoologicos do cotinente latino, com quase 500 espécies animais em exposição, como a onça-pintada e o cisne de pescoço preto.

Informações: (47) 3261-2222

Magic City
Onde fica: Suzano (SP)

O que tem de bom: É um mix de diversão, já que compreende parque aquático, parque de diversões, parque de aventura, fazendinha e pesqueiro – que funciona com o sistema pesque-pague e pesca esportiva – em um mesmo lugar.  O parque aquático, por exemplo, tem piscinas aquecidas, toboáguas e kamikaze, além de uma área vip com hidromassagem, cascata e ofurô.

Já o parque de diversões atrai os visitantes com o barco viking, o twister e o carrinho de bate-papo. A emoção mesmo fica por conta do parque de aventuras, que oferece parede de escalada, rappel, arvorismo e trilhas, além de mninitrilha radical, labirinto e cama elástica para as crianças menores. A desvantagem é que essas atraçõesm além de serem pagas à partem demandam reserva de horário com antecedência, então não dá para se empolgar só na hora que já está lá.

Informações: (11) 4746-5800

Mirabilandia Parque de Diversões
Onde fica: Olinda (PE)

O que tem de bom:  Para que a região nordeste do país não continuasse distante das opções de parque, foi criado, em 2002, o Mirabilandia Parque de Diversões, na cidade pernambucana de Olinda. O lugar dispõe de uma fazendinha e galeria de jogos. Entre as principais atrações dos brinquedos está o SuperTornado, uma montanha russa com dois loops em forma de saca-rolhas.

Em comparação aos tradicionais parques do sul/ sudeste, o Mirabilandia ainda é uma opção pequena, já que possui 35 atrações e área de 57 mil m². No entanto, ele faz bonito no serviço oferecido aos visitantes e tem investido na renovação de brinquedos, sempre trazidos da Europa e dos Estados Unidos. Um diferencial é o atendimento ao cliente por meio das mídidas sociais, como Twitter , Orkut e Fotolog. O parque também recebe com freqüência alunos do ensino médio das escolas locais para aulas práticas de física, química e matemática.

Informações: (81) 3366-2000

Parque da Xuxa
Onde fica: São Paulo (SP)

O que tem de bom: Normalmente os parques de diversão têm como foco crianças e jovens, mas os mais novinhos costumam ficar de fora de muitas atrações, já que boa parte delas não são adequadas para crianças pequenas. O Parque da Xuxa veio ser uma opção dedicada a esse público.

Localizado dentro do Shopping SP Market, o parque conta com brinquedos radicais como ontanha-russa, parede de escalas e splash formulados para darem aos pequenos a mesma emoção que dariam a um adulto, mas de maneira adaptada. O legal é que os pais e os irmãos mais velhos podem brincar junto, então a diversão é garantida. Também tem carrinho de bate-bate e circuitos. A única desvantagem é que a comida que existe dentro do parque é fast food, o que leva alguns pais a levarem lanchinho de casa.

O legal é que como o parque foi feito para os pequenos, há banheiros próprios para eles e as filas dos brinquedos, mesmo quando numerosas, acabam rápido.

Informações: (11) 5541-2530

Playcenter
Onde fica: São Paulo (SP)

O que tem de bom: O Playcenter é, sem dúvida, o parque mais tradicional do país, já que está em funcionamento há quase 40 anos. Com área de 85 mil m², ele recebe cerca de 1,5 milhão de visitantes por ano e costuma em investir em atrações inovadoras. Uma das características do parque é que suas atrações têm mesmo um caráter bastante radical, em sua maioria, e elas costumam ficar guardadas na memória de quem experimenta a adrenalina proposta pelos brinquedos.

Fazem parte das opções de diversão, por exemplo, a montanha-russa Boomerang, que tem um looping completo, dois meio loopings e que volta de costas, o Evolution, onde o visitante corajoso fica de cabeça para baixo, a Looping Star, uma outra montanha-russa que detém um superlooping, e o Cataclisma.

Embora boa parte do público do parque sejam os jovens, as crianças pequenas também tem o seu espaço por lá: 25 atrações, como carrossel, trenzinho e minimontanha-russa. O que é legal de lá também é que todos os anos o Playcenter proporciona uma temporada de “Noites do Terror”, com atores fantasiados de monstros circulando entre os brinquedos, somente na parte da noite.

Informações: (11) 2244-7529

Wet n’ Wild
Onde fica: entre São Paulo e Campinas (SP)

O que tem de bom: É um dos maiores parques aquáticos do Brasil e funciona desde 1998. Com uma vasta área de 160 mil mW, o Wet n’ Wild abriga mais de 7 milhões de litros de água devidamente tratada e reciclada para que não haja problema em nenhuma das 22 atrações das quais dispõe.

A região na qual está localizada costuma ter um número alto de dias com céu aberto, o que beneficia seu funcionamento. A atração mais nova, a Mega Water Play, é toda tematizada e possui 610 m², tendo 17 plataformas em 5 níveis diferentes, tobogãs, duchas, balanços e mangueira de esquicho. É uma atração que comporta toda a família. Além deste, outros brinquedos dividem a função de atrair idades diferentes do público, então tem espaço tanto para o gosto mais radical até os bebês que estão começando a freqüentar o lugar.

Uma das vantagens é que não é preciso de preocupar em andar com carteira nem dinheiro enquanto se diverte nas piscinas: o parque criou o “Wet Cash”, uma pulseira de crédito que deve ser carregada com valor mínimo de R$ 100. Para comprar um lanche, por exemplo, basta ir ao restaurante, mostrar a pulseira e pagar no final do dia tudo que foi contabilizado nela. Se os R$ 100 do crédito não forem usados, mesmo assim só será debitada a quantidade gasta pelo visitante.

Informações: (11) 4496-8000

Hopi Hari
Onde fica: Entre São Paulo e Campinas (SP)

O que tem de bom: Visitar o Hopi Hari é como ir a um novo mundo. “É como”, não. É ir a um novo mundo de verdade: o Kaminda Mundi. Todo o parque é dividido em áreas temáticas que ficam dentro desse “mundo” diferente. Até mesmo as placas são sinalizadas com as palavras que fazem parte do dialeto falado nesse lugar.

Por lá, é possível aproveitar atrações para todas as idades, embora o foco seja o publico juvenil. Tem montanha-russa, Sky coaster, carrinho de bate-bate, torre de 69 metros da onde as cadeiras “despencam”, uma das maiores rodas-gigantes do mundo e cinema 3D.

A área “Wild West”, bem ao estilo velho-oeste americano, chama atenção por seu cenário bem feito e as apresentações de bang-bang e cabaret realizadas diariamente por atores e cantores talentosos. O maior problema do parque, no entanto, é o tamanho das filas que se formam nos brinquedos durante a alta temporada. Não é difícil passar ao menos umas duas horas na fila para experimentar a montanha-russa, por exemplo.

Informações: 0300 789 556

Deixe o seu comentário

Veja aqui a programação da TV